O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Solidão e isolamento aumentam risco cardiovascular

Sempre relacionamos solidão e isolamento social com a personalidade do paciente

Solidão e isolamento aumentam risco cardiovascular
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Sempre relacionamos solidão e isolamento social com a personalidade do paciente, seu humor e até mesmo sua saúde mental. Pessoas solitárias sofrem de problemas de estresse e ansiedade , distúrbios de memória e comunicação, degeneração do tecido neural ou distúrbios do sono. No entanto, nunca consideramos que a influência deles também atinge a integridade física daqueles que sofrem com isso.

Um novo estudo coordenado pela Universidade de Helsinque, na Finlândia, determinou sintomas da solidão e o risco de doença cardiovascular. A equipe responsável teve neste estudo uma participação somando 480 mil pessoas entre 40 e 69 anos. 16% dos entrevistados confessaram se sentirem sozinhos e isolados quase que diariamente , uma situação que multiplica suas chances de sofrer derrame , ataque cardíaco ou doença cardíaca isquêmica.

Relação entre solidão e doenças cardiovasculares

Especialistas dizem que a solidão deve ser considerada um importante fator de risco para doenças cardiovasculares . Ao mesmo nível que outros elementos tradicionais, como consumo de álcool , tabaco , dieta pobre ou estilo de vida sedentário. E embora pareça um fato isolado, 18% da população espanhola mora sozinha, dos quais 1.800.000 são pessoas com mais de 65 anos.

Apesar de ser um estudo observacional, os números não enganam. Durante os sete anos em que a investigação durou 12.478 pessoas morreram , 5.731 sofreram o primeiro ataque cardíaco e 3.471 sofreram o primeiro derrame. A maioria estava em situação de desamparo, apresentava sintomas de depressão e fumava assiduamente. Daí a conclusão da descoberta agora publicada pela revista especializada ‘Heart’.

Com todos esses dados obtidos, os responsáveis ​​pelo estudo esperam reduzir o número de mortes devido a ataques cardíacos e derrames. Antes de fornecer qualquer tipo de tratamento, a solidão pode atuar como um fator determinante no diagnóstico, a principal causa de mortalidade no mundo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.