O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Primeiros testes com pílula anticoncepcional masculina são positivos

O DMAU está sendo ​​apontado como a "melhor esperança" de opção contraceptiva masculina.

Primeiros testes com pílula anticoncepcional masculina são positivos
4.5 (90%) 2 votos Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

A tentativa em desenvolver uma pílula anticoncepcional para homens que seja segura e eficaz vem avançando de acordo com os resultados preliminares de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Washington, Estados Unidos.

Apresentada em março deste ano, durante uma conferência de endocrinologia nos EUA, uma pesquisa ainda recente do undecanoato de dimetandrolona, ou DMAU vem gerando entusiasmo entre os cientistas.

O estudo, que contou com a participação de 83 homens com idades de 18 a 50 foram divididos em grupos. Cada grupo recebeu uma dose diferente do medicamento: 100, 200 ou 400 miligramas durante 28 dias.

Após a ingestão do medicamento junto com um alimento – um requisito para a ação do remédio -, foi verificado pela equipe de estudos que os níveis de testosterona dos participantes caíram significativamente, junto com outros dois hormônios essenciais para a produção de espermatozoides.

Embora a nova medicação tenha algumas observações como a necessidade de sua ingestão acompanhada de alimentos, impacto negativo sobre os níveis de colesterol e possibilidade que ao longo do tempo pode haver aumento no risco de doenças cardíacas, até agora a droga tem se mostrado segura para ser usada em um curto prazo.

Em continuação a pesquisa, será verificado se a pílula realmente diminui ou não a produção de espermatozoides, e na sequência por outro estudo que vai testar a eficácia com homens casados ou em relacionamentos estáveis.

Outros estudos

Desenvolvido com financiamento do National Institutes of Health, a fórmula não é a primeira  versão de tentativas de um contraceptivo hormonal masculino.

Em 2016, um estudo verificou a eficiência de uma injeção com hormônio aplicada a cada oito semanas. Embora o medicamento tenha sido eficaz na redução dos espermatozoides, ele foi associado a vários efeitos colaterais como depressão, acne e alteração na libido.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.