O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Potencial vacina contra HIV é testada e aprovada em macacos

Essa nova pesquisa foi publicada na terça-feira (11) na Immunity, uma revista internacional voltada para assuntos científicos.

Potencial vacina contra HIV é testada e aprovada em macacos
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Cientistas da Califórnia conseguem desenvolver uma vacina capaz de estimular o organismo do macaco-rhesus (macaca mulatta) na produção imunológica de anticorpos neutralizantes contra uma cepa do vírus HIV.

Essa nova pesquisa foi publicada na terça-feira (11) na Immunity, uma revista internacional voltada para assuntos científicos.

De acordo com as pesquisas realizadas, assim que submetidos ao procedimento da vacina, os macacos rhesus foram estimulados à produção dos anticorpos. Esses anticorpos neutralizantes agem contra uma cepa do vírus HIV semelhante à forma viral mais comum nas infecções do vírus em humanos.

Segundo Dennis Burton, que é presidente do Departamento de Imunologia e Microbiologia da Scripps Research, o que foi descoberto é que os anticorpos neutralizantes, tais quais induzidos por essa vacinação, estão aptos a proteger esses animais contra a infecção do vírus semelhantes ao do HIV.”

Pesquisas realizadas anteriormente, e conduzidas também pelos cientistas da conceituada Scripps Research, comprovaram que é necessário que o corpo produza anticorpos do tipo neutralizantes. Esses anticorpos devem se ligar ao trímero de proteína daquilo que chamam de envelope viral externo.

E para conseguir que os animais pudessem produzir seus próprios anticorpos neutralizantes, esses cientistas tiveram que expor todo sistema imunológico dos animais ao trímero de proteína do envelope viral, “ensinando” o sistema imunológico de maneira eficaz para que ele fosse capaz de identificar o vírus e produzir anticorpos adequados.

A imunização foi testada em dois grupos de macacos da espécie rhesus: seis com poucos anticorpos neutralizantes e seis com uma quantidade significativa.

Eles também analisaram 12 primatas que não foram imunizados.

Os macacos naturalmente imunizados desenvolveram níveis baixos de anticorpos em seus organismos. Diferentemente dos outros que, após a vacinação, desenvolveram níveis altos de imunização.

Estes animais foram assim expostos a uma forma viral chamado de SHIV. O SHIV é uma versão artificial do HIV. Essa versão possui o mesmo trímero de envelope viral causador das infecções virais em humanos. Além de sua neutralização ser tão difícil quanto as formas virais do HIV infectam a espécie humana.

Os resultados do teste comprovaram que as vacinas com níveis altos de anticorpos neutralizantes funcionou eficientemente nos macacos. Os animais então foram capazes de produzir níveis satisfatórios de anticorpos neutralizantes contra o trímero da proteína do envelope de modo a prevenir essa infecção do vírus.

Segundo pesquisadores, desde o surgimento do HIV, essa é a primeira comprovação de proteção baseada nos anticorpos que agem contra um vírus Tier 2.

Ao monitorar os anticorpos, enquanto os animais eram expostos ao vírus de maneira contínua, os pesquisadores definiram quantitativamente quantos anticorpos seriam necessários para proteger o organismo contra o HIV.

Agora, os pesquisadores buscam por uma estratégia que os faça conseguir obter anticorpos totalmente neutralizantes. E a conclusão é que esses anticorpos possam prevenir o organismo de muitas cepas do HIV, e não apenas a descrita nesse estudo.

A ciência vai caminhando para a neutralização total do vírus do HIV, de um modo que hoje o portador da doença pode ter uma grande possibilidade de que o HIV seja 100% inofensivo em seu corpo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.