O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Perda de dentes após os 40 anos pode ser sinal de doença grave no coração

Seu corpo pode estar mandando um alerta para você!

Perda de dentes após os 40 anos pode ser sinal de doença grave no coração
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

A perda de dentes a partir dos 40 anos, conhecida como a meia-idade, está sendo ligada pelos especialistas a um risco de problemas graves no coração.

O agravante é que é este sintoma é independente dos fatores de risco tradicionais como a pressão alta, os maus costumes de alimentação e a diabetes.

Este resultado foi concluído após um estudo preliminar ter sido conduzido pela Universidade de Tulane, nos Estados Unidos e pela Escola de Saúde Pública de Boston.

De acordo com Lu Qi, coautor do estudo e professor da Universidade citada, os adultos de meia-idade que perderam dois ou mais dentes recentemente possuem mais riscos de enfrentarem doenças cardiovasculares.

Queda de dentes pode ser sinal vermelho para saúde

Este não foi o primeiro estudo responsável por fazer a investigação que liga a saúde da boca aos problemas cardiovasculares. Porém, ele foi o primeiro a conquistar o resultado após se concentrar na perda de dentes durante a meia-idade e outros fatores.

Foram analisados no estudo dados sobre milhares e homens e mulheres que tinham idades entre os 45 e 69 anos que foram acompanhados em estudos de profissionais da saúde.

Nenhum dos participantes do estudo tinham doença cardíaca no início do estudo (1986 e 1992). Neste, eles foram perguntados sobre o número de dentes saudáveis além da possível perda recente os dentes.

Foi avaliado um padrão de oito anos de perdas dentárias e suas relações com as doenças no coração. A equipe fez a comparação, dividindo os pacientes em três grupos: os que não perderam dentes, os que perderam um dente e os que perderam dois ou mais.

Os que tinham entre 25 a 32 dentes e relataram perda recente de dois ou mais apresentaram um risco de 23% a mais de desenvolver doença cardíaca em comparação aos que não tinham perdido nenhum.

Os pesquisadores afirmam que o risco não tinha qualquer relação com a qualidade da dieta, atividade física, peso ou outros fatores tradicional.

Os que perderam um dente não teve aumento significativo. “Adultos de meia-idade, um número maior de dentes perdidos no passado recente pode estar associado ao risco subsequente de doença coronariana, independentemente do número de dentes naturais e fatores de risco tradicionais”, concluiu o estudo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.