O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Febre do Vale do Rift: Um perigo ainda maior para grávidas

O Zika Vírus causou uma grave crise global em 2015.

Febre do Vale do Rift: Um perigo ainda maior para grávidas
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

O Zika Vírus causou uma grave crise global em 2015 e, desde então, assusta pelos danos que pode causar aos fetos em mulheres grávidas.

No entanto, existe um outro tipo de parasita que pode ser muito mais prejudicial para a formação desses bebês, o RVF, causador da Febre do Vale do Rift. De acordo com recentes pesquisas, ele pode causar sequelas graves e até a morte dessas crianças.

“Estamos nos adiantando em relação à doença porque o Zika pegou todo mundo de surpresa. Se os médicos soubessem dos seus efeitos poderiam ter ajudado muitas mães e bebês”, disse Amy Hartman, especialista em doenças infecciosas na Universidade de Pittsburgh.

Até hoje foram documentados dois casos de fetos infectados, um nasceu com o fígado e baço aumentados e o outro morreu depois de sete dias.

Isso corrobora os resultados obtidos nos estudos de Hartman, onde ratas infectadas tiveram taxa de mortalidade bem maior do que as não infectadas, assim como os fetos.

Além dos roedores, testes forem feitos em tecidos da placenta humana e revelaram que, a contrário do Zika Virus, o RVF tem muita facilidade em infectar a região da placenta por onde entram os nutrientes.

Enquanto o vírus da Zika precisa pegar alguns “atalhos” para passar pela placenta, o da Febre do Vale Rift tem acesso livre até chegar ao feto.

A Febre do Vale do Rift é uma doença ainda pouco conhecida, transmitida pela picada de um mosquito e que com maior incidência na África Subsaariana em animais de criação, como vacas e ovelhas, mas também em humanos.

Com os sintomas parecidos com os da gripe, pode causar graves problemas hepáticos nos infectados. No final de 2000 o primeiro surto fora da África atingiu mais de 100 mil pessoas na Arábia Saudita, levando a, pelo menos, 700 mortes.

A OMS já a considera um grave problema de saúde pública e foi anunciado um financiamento de 48 milhões de dólares para pesquisas sobre o vírus da doença em conjunto com o da Chikungunya.

“Para evitar uma epidemia mundial precisamos de mais pesquisas sobre o vírus RVF e a Febre do Vale do Rift”, disse Cynthia McMillen, uma das principais autoras do estudo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.