O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Estudos mostram que exercícios exagerados tem os mesmos malefícios que o sedentarismo

Quanto mais leve você treinar, mais você irá viver.

Estudos mostram que exercícios exagerados tem os mesmos malefícios que o sedentarismo
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Muitas pesquisas já mostraram que realizar atividades físicas é um dos segredos para aumentar o tempo de vida. Porém, tudo tem limite. Isso ocorre, pois, treinar em excesso, o denominado overtrainig, pode ser tão prejudicial quanto o sedentarismo. É o que diz um estudo publicado no periódico Heart, do grupo British Medical Journal (BMJ).

De acordo com os autores, que faziam parte do Saint Luke’s Mid America Heart Institute e da University of Queensland School of Medicine, nos Estados Unidos, embora o treino frequente traga benefícios, o exagero pode torná-lo ruim para saúde. Recomenda-se, assim, a realização de atividades vigorosas por 30 a 50 minutos ao dia. Ultrapassar esse limite causa, sobretudo, problemas cardíacos.

Para mostrar tal efeito, os especialistas utilizaram um estudo utilizado em maio na Sociedade Europeia de Cardiologia, na Irlanda. Depois de acompanhar mais de 52.590 pessoas durante 30 anos, eles notaram que os voluntários que corriam tinham um risco 19% menor de vir a óbito nesse período do que os que não praticavam a atividade. A média, porém, ocultava um dado muito importante: os que corriam de dez a 30 quilômetros por semana apresentaram um risco 25% menor de morte, ao mesmo tempo que os que corriam entre 30 e 40 quilômetros não apresentaram qualquer vantagem sobre os sedentários.

Os resultados mostram a chamada “curva em U”, em que uma ponta é o overtraining e a outra é o sedentarismo. A base ou meio termo, por sua vez, indica o ponto em que o indivíduo mais ganharia positividades. Então, mesmo quem realiza provas de exercícios pesados deve tentar levar um treino mais leve nos outros dias do ano.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.