O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Diagnóstico para super-bactéria de gonorreia alerta médicos

OMS está cobrando que países monitorem a disseminação da doença e invistam em novos medicamentos.

Diagnóstico para super-bactéria de gonorreia alerta médicos
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Em março deste ano, o Serviço de Saúde do Reino Unido divulgou informações sobre um dos casos mais graves registrados de gonorreia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) já teria emitido um alerta sobre esse tipo de gonorreia que seria resistente a antibióticos.

A supergonorreia, como está sendo identificada, foi encontrada em um homem que se contagiou ao ter um caso com uma mulher no sudeste da Ásia neste ano.

Ao procurar o sistema de saúde, o homem teve o diagnóstico tendo gonorreia e foi tratado da forma mais tradicional, que inclui antibióticos, porém o paciente demonstrou ser resistente as drogas.

A médica Gwenda Hughes em entrevista em entrevista ao canal BBC, disse que esta é a primeira vez que um paciente apresenta resistência aos medicamentos normalmente empregados em casos de gonorreia.

O serviço de saúde do Reino Unido está à procura de pessoas que se relacionaram sexualmente com este paciente, a fim de verificar se existe risco da doença se espalhar.

Em 2017 a OMS já havia revelado que o sexo oral estava produzindo uma forma diferente de gonorreia e com a diminuição do uso de preservativos, isso pode estar ajudando a espalhar a doença.

O que é e como evitar a gonorreia

A gonorreia é causada pela bactéria Neisseria Gonorrhoea e é uma doença sexualmente transmissível. Após infectado a doença pode se espalhar durante o ato sexual vaginal, oral e anal desprotegido.

Os sintomas se diferem entre homens e mulheres dos quais são característicos nos órgãos genitais masculinos: secreção de pus saindo pelo uretra, dor e ardência ao urinar, inchaço dos testículos. No órgão sexual feminino pode haver: sangramentos esporádicos, dor na região pélvica, ardência ao urinar, corrimento vaginal com tom amarelado e odor forte.

O não tratamento da gonorreia pode causar infertilidade e ser transmitidas para o bebê durante a gestação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.