O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Diabetes: as perguntas mais frequentes sobre essa doença

A diabetes tipo 2 não tem sintomas, apenas é identificada pelos resultados de exames laboratoriais que identificam o teor de glicose no sangue.

Diabetes: as perguntas mais frequentes sobre essa doença
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

A Organização Mundial da Saúde contabiliza 422 milhões de pessoas no mundo sendo diabéticas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, no Brasil são 13 milhões de portadores da doença. 

A diabetes é uma doença grave que requer controle contínuo e acontece quando o pâncreas produz pouca insulina (hormônio que direciona a glicose no sangue) ou quando o corpo não utiliza corretamente a insulina produzida. Pode, portanto, atingir qualquer pessoa com o excesso de glicose, que tem a função de energia do organismo.

Cegueira, ataques cardíacos, derrames, insuficiência renal e amputação da perna ou do pé são algumas das complicações da diabetes.

Essa doença pode ser prevenida. A seguir, algumas das principais dúvidas e as respostas de especialistas no assunto.

  1. Sintomas:

A diabetes tipo 2 não tem sintomas, apenas é identificada pelos resultados de exames laboratoriais que identificam o teor de glicose no sangue. A diabetes tipo 1 apresenta sintomas como fome, sede, cansaço e urina em excesso, além de visão turva e perda de peso.

Nas crianças: os sintomas são mais intensos e frequentes, com sede intensa, perda de peso, urina frequente, cansaço, sonolência, não brincam a mesma energia;

  1. Qual o nível perigoso de açúcar no sangue?

Valores acima de 180 mg /dl em duas horas são tóxicos para as células e se forem frequentes, causam danos nos olhos, rins, coração e nervos das pernas. A longo prazo, todo o corpo é atingido. Sendo assim, é preciso que os diabéticos tenham glicose no sangue entre 70 e 180 mg / dl durante a maior parte do dia. Em caso de diabetes tipo 2 o paciente pode desidratar se o teor de açúcar exceder 200 mg/dl. Também é necessário evitar níveis de glicose abaixo de 70 mg/dl tanto em jejum quanto depois das refeições.

  • Diabetes tipo 1 e tipo 2: como são?

São quatro tipos de diabetes, que se expressam como tipo 1 ou tipo 2.

  • Tipo 1: ocorre mais em jovens com menos de 30 anos, magros e sem casos de diabetes na família.
  • Tipo 2: ocorre em adultos com mais de 40 anos, em sobrepeso ou obesidade, com uma circunferência abdominal maior que 80 cm (em mulheres) e maior que 90 cm (em homens). Pode acontecer também com fatores como altos níveis de triglicérides, hipertensão e gordura no fígado.
  • Diabetes tem cura ou pode ser evitada?

Não há cura, mas quando bem monitorada a pessoa leva uma vida normal. Não é possível prever ou evitar a diabetes tipo 1. Já a diabetes tipo 2 pode ser evitada (ou adiada, no caso de pessoas com histórico na família) com alimentação saudável, peso adequado,  aliados a atividade física.

Apesar de ser uma alternativa agressiva, o transplante de pâncreas elimina em muitos casos a falta de insulina da diabetes tipo 1.

  • Alimentos causam diabetes?

Não, o que causa a diabetes é o consumo excessivo de energia estimulado pelo desenvolvimento industrial. O excedente de calorias no fígado e no tecido gorduroso começou a aumentar, culminando no desenvolvimento de doenças como a diabetes, entre outras.

Dietas muito gordurosas, principalmente as de origem animal, açúcares e alimentos industrializados, relacionam-se a maior propensão de desenvolver a diabetes tipo 2. Alimentação com fast food e lanches é um das principais causas de diabetes tipo 2 em crianças.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.