O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Curar doenças não gera renda para fabricantes de remédios, diz estudo

As informações são da Goldman Sachs, grupo financeiro internacional.

Curar doenças não gera renda para fabricantes de remédios, diz estudo
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Segundo um relatório de pesquisa muito polêmico do banco de investimentos Goldman Sachs, que foi enviado para os seus clientes e foi vazado para a imprensa.

Neste relatório, foi questionada a viabilidade dos valores dos novos métodos de cura de pacientes com terapias genéticas em comparação com a maior renda que é conquistada com remédios para o tratamento de doenças crônicas.

Este vazamento é a prova de que há uma discussão no setor farmacêutico sobre o lucro econômico com a doença dos pacientes.

Eles concluem que é muito mais lucrativo venderem remédios para os pacientes ao longo da vida para o tratamento de doenças crônicas ao invés de investir no estudo para uma futura cura.

Quando a saúde é o assunto, muita gente se limita a pensar somente no lucro e isso é um problema. O bem-estar do paciente nem sempre é prioridade e isso preocupa a comunidade de pacientes ao redor do globo.

Cura de doenças estão sendo estudadas

Nos últimos anos, iniciativas da ciência encontraram terapias genéticas associadas ao DNA.

Entre as descobertas, um dado promissor impressionou os cientistas: tratamento baseado na manipulação genética, com técnicas como CRISPR.

Estas informações são benéficas para os sistemas de saúde pública, mas não deixa nem um pouco felizes os caciques das empresas farmacêuticas.

Indústria tem medo de perder dinheiro com curas “one-shot”

No relatório do Goldman Sachs, a analista Salveen Richter informa que o potencial de desenvolver curas “one-shot” é o aspecto mais atraente das terapias e da engenharia genética, mas isso trará uma revolução para os produtos farmaucêuticos que buscam um “fluxo estável de renda”.

Ela deu como exemplo a empresa Gilead Sciences, que ganhou em 2015 R$ 12,5 bilhões de dólares com o tratamento de hepatite C, que cura 90% dos casos.

Porém, com a taxa de cura tão alta, em 2017, a empresa ganhou apenas 4 milhões de dólares.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.