O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Compulsão alimentar e estresse começam na infância, diz estudo

As emoções e a alimentação em uma conexão direta e isso é um problema.

Compulsão alimentar e estresse começam na infância, diz estudo
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

As emoções e a alimentação possuem uma conexão estreita e já foi estudado pelos cientistas da área que há uma ligação bem estabelecida e o problema é que isso começa mais cedo que o imaginado.

Crianças de quatro anos de idade que comem mais mesmo sem estarem com fome podem ter dado início ao ciclo que pode levar a obesidade e sobrepeso ao longo da vida.

Em um estudo, pesquisadores fizeram o acompanhamento detalhado da vida de 207 crianças que vivem em baixa renda, que são mais suscetíveis a situações de estresse.

Entre os anos de 2009 e 2015 eles foram observados e registraram mais exposições ao estresse e isso levou a mudanças em seus comportamentos alimentares.

De acordo com Alison Miller, professora de Educação e Comportamento da Saúde da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, houveram pequenos aumentos os comportamentos alimentares ao longo do tempo, relacionados ao estresse entre os 4 e 7 aos de vida.

“O que é importante é que as crianças que comem com exagero assim desde muito cedo, na infância, têm um risco maior de ganhar peso ao longo da vida, aumentando o risco de problemas para a saúde”, disse a especialista.

Estresse a infância e a compulsão alimentar

O estresse infantil foi definido como principalmente um reflexo de eventos caóticos e a exposição a eventos negativos da vida.

A exposição à violência, trauma e privação material contribuem para o estresse e este com a compulsão alimentar.

As crianças pobres são vulneráveis à violência, escassez de alimentos e à preocupação com a limitação de recursos materiais, reflexo da desigualdade social.

O estresse pode resultar em efeitos negativos neurobiológicos, cognitivos, sociais, emocionais, comportamentais e de saúde física.

Quanto mais altos os níveis de estresse, maior o nível da compulsão: “Observamos que as crianças que tiveram níveis mais altos de estresse comeram mais, mesmo sem fome, conforme relato dos pais. É muito importante focarmos em um padrão de consumo alimentar como um mecanismo de enfrentamento do estresse em crianças pequenas.”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.