O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Clomipramina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

A Clomipramina pertence ao grupo dos antidepressivos e todas as pessoas que tenham sensibilidade a ela ou a outros similares não devem fazer seu uso.

Clomipramina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

A Clomipramina é um medicamento usado no tratamento da depressão e outros distúrbios do humor, além de obsessões, pânico, fobias, condições de dor crônica e fraqueza muscular (cataplexia), estes associados à narcolepsia em adultos. O medicamento também serve para tratar incontinência urinária em crianças acima de 5 anos.

Como tomar clomipramina

O uso de todo medicamento precisa obedecer às prescrições médicas acima de tudo, porém, cada um tem sua especificidade. No caso da Clomipramina os comprimidos devem ser tomados, de preferência, à noite. É preciso cuidado também no seu armazenamento, sempre em temperatura ambiente, locais secos e longe da luz.

Contraindicações

A Clomipramina pertence ao grupo dos antidepressivos e todas as pessoas que tenham sensibilidade a ela ou a outros similares não devem fazer seu uso. Outras pessoas contra indicadas ao remédio são as que usam ou pararam de usar em menos de duas semanas qualquer inibidor de monoaminooxidase (IMAOS), além dos pacientes que sofreram infarto do miocárdio recentemente.

Efeitos Colaterais

De uma forma geral os efeitos colaterais do uso da Clomipramina não são muito graves e tem caráter transitório. Alguns chegam a se confundir com os sintomas da depressão, como, por exemplo, fadiga ou agitação.

Caso esses efeitos sejam muito graves e afetem a parte neurológica ou psiquiátrica, o médico deve ser procurado e o uso do medicamento suspenso.

Os sintomas mais comuns se dividem em psíquicos (sonolência, fadiga, sensação de inquietação e aumento do apetite), neurológicos (vertigens, tremores, cefaleia e mioclonia), anticolinérgicos (secura da boca, sudorese, constipação, alterações da acomodação visual e/ou visão borrada e distúrbios da micção) e alterações no sistema cardiovascular, gastrointestinal e sistema endócrino.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.