O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Câncer que matou Nara Almeida é mais comum em homens com mais de 50 anos

A modelo faleceu vítima de câncer de estômago.

Câncer que matou Nara Almeida é mais comum em homens com mais de 50 anos
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

A influenciadora digital, modelo e youtuber Nara Almeida foi vencida pelo câncer na última segunda-feira, 21 de maio. O caso que acometeu a jovem não é comum.

O câncer que atingiu a modelo é mais frequente entre os homens com mais de 50 anos, os dados são do Inca, Instituto Nacional do Câncer.

Normalmente, estes tumores não são passados de pai para filho, surgem por conta de hábitos ruins, como a alimentação rica em sal, alimentos que passam por processos de defumação, consumo de álcool em excesso, obesidade, falta de atividade física e tabagismo.

Porém, o câncer se formou em uma mulher de aparência saudável, que também parecia se importar bastante com sua condição de saúde. Como a jovem teria desenvolvido este problema?

Segundo Felipe Coimbra, que é diretor de Cirurgia Abdominal de um hospital que cuida de pessoas com câncer, as pessoas que passam por esta doença podem se encaixar em padrões: Nara pode ser um dos casos raros de aleatoriedade, ou estar entre os 10% que herdam o tumor de um familiar.

Câncer de Nara Almeida é caso raro

Segundo o especialista, o corpo humano sempre está vivendo mutações e algumas delas podem se tornar um problema grave.

De acordo com ele, este é um problema que todos estão sujeitos a passar, já que se tratando de saúde sempre existem exceções.

Sintomas como perda de apetite, indigestão, queimação, azia, perda de peso, vômito e dificuldade para engolir podem ser um alerta para o câncer.

A jovem descobriu em 2017 que estava com algum problema sério. Segundo a própria, os vômitos eram intensos, assim como as dores de estômago. Ela foi diagnosticada com úlcera gástrica, mas os medicamentos não estavam surtindo efeito.

Os sintomas podem não indicar uma doença muito grave, o que deixa o diagnóstico moroso, fazendo com que em 80% dos casos, o tumor só seja descoberto já no estágio avançado.

A modelo não resistiu ao câncer após várias pioras. Ela passou por sessões de imunoterapia, teve que realizar um sonda para colocar uma sonda na barriga, mas mesmo assim, os esforços não foram o suficiente.

Se você tem fatores de risco em seu histórico familiar, é indicado uma endoscopia a cada três anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.