O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Aracnodactilia: o que é, quais as causas, sintomas e tratamento

Em determinados casos, a Aracnodactilia não afeta apenas a estrutura óssea, como também o sistema cardiovascular, e os olhos do indivíduo.

Aracnodactilia, uma condição caracterizada por uma anomalia física cuja a pessoa possui os dedos de suas mãos e pés alongados de maneira atípica.

Essa condição é uma doença e pode também ser proveniente da síndrome de Marfan, ou de outros distúrbios genéticos que manifestam alguns sintomas característicos, tais como formação anormal dos ossos.

Em determinados casos, a Aracnodactilia não afeta apenas a estrutura óssea, como também o sistema cardiovascular, e os olhos do indivíduo.

Causas da aracnodactilia

Como já mencionada, uma das principais causas para esta doença é a síndrome de Marfan.

Entretanto, embora as pessoas associem a aracnodactilia com essa síndrome, nem sempre a condição dos dedos alongados está relacionada à Síndrome do Marfan, sendo esta última apenas uma das causas da condição.

Outra possível causa que pode desencadear a aracnodactilia é uma condição conhecida como homocistinúria.

Esta última é uma doença que se caracteriza pela defasagem de uma enzima responsável pelo metabolismo da metionina. Este por sua vez é um aminoácido que contribui para a composição das proteínas fundamentais para o organismo.

E embora as pessoas já nasçam com seus dedos alongados, essa condição pode desenvolver-se com o passar dos anos.

Buscando uma ajuda médica

Em casos em que o indivíduo já tenha nascido com os dedos longos, isso pode ser considerado algo apenas estético.

No entanto, na ocorrência em que os dedos são alongados de maneira atípica, o ideal é buscar uma ajuda médica para saber se de fato existe uma causa específica relacionada à Aracnodactilia, ou se é apenas uma característica física do indivíduo.

Como realizar o diagnóstico da Aracnodactilia causada pela síndrome de Marfan

Para que seja confirmado o diagnóstico da Síndrome de Marfan, os médicos realizarão um exame físico, avaliando o histórico do paciente, assim como seu histórico familiar.

O médico poderá realizar também um exame ocular por meio de uma lâmpada de fenda, de modo que ele consiga detectar possíveis sintomas como miopia, glaucoma.

Ele também poderá encaminhar o paciente à realização de exames de imagem, que são eletrocardiograma e ecocardiograma.

Ambos os últimos citados irão servir para diagnosticar anormalidades nas válvulas coronárias, possível causa da elevação dos níveis de pressão arterial.

Caso o diagnóstico seja confirmado, é fundamental que o paciente tenha todo acompanhamento médico para prevenir o surgimento de novos sintomas.

Caso seja confirmado a Síndrome de Marfan, quais os tratamentos para essa síndrome?

Embora não haja um procedimento específico para a cura dos pacientes portadores da Aracnodactilia proveniente da Síndrome do Marfan, existem diversos tratamentos que ajudam amenizar seus sintomas e elevar a qualidade de vida do paciente.

Por este motivo, é fundamental que se obtenha um diagnóstico precoce de modo que os tratamentos apresentam resultados eficazes.

Para se obter um tratamento eficaz destinado às causas desta síndrome, o trabalho de toda uma equipe multidisciplinar também será fundamental.

Essa equipe inclui principalmente dentistas, cardiologistas, ortopedistas, geneticistas, e oftalmologistas.

É importante que o paciente siga à risca os tratamentos médicos para que a síndrome não interfira em sua qualidade de vida.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.