O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

60% das marcas de azeite de oliva são banidas do mercado brasileiro

300 mil litros de azeite foram retirados por serem irregulares.

60% das marcas de azeite de oliva são banidas do mercado brasileiro
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

Após uma avaliação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, quase 60% das marcas de azeite de oliva do mercado foram reprovadas.

O número é muito grande e assusta. Os produtos testados eram de 107 marcas, pertencentes a 65 empresas. Somente 39 destas tiveram 108 lotes aprovados.

26 empresas tiveram 160 lotes reprovados no teste feito pelo ministério. Saiba se a marca que você consome passou no teste.

Para que alguma fraude fosse identificada, foi solicitado pelos fiscais que os responsáveis pelas marcas apresentassem a nota fiscal de saída do produto e também a comprovação de compra da matéria-prima.

Assim, as empresas que faziam algum tipo de fraude no produto não tinham como apresentar a documentação para garantir a boa qualidade do azeite.

Assim, o Ministério retirou do mercado 300 mil litros de azeite que estavam irregulares, além de 400 mil litros de produtos que eram classificados como “azeite”, mas eram na verdade tempero.

Algumas empresas tem feito a mistura de azeite real de oliva com outros óleos. As empresas que fazem este tipo de procedimento recebem multa de no mínimo R$ 5 mil e um acréscimo de 400% do valor da mercadoria.

Saiba quais marcas de azeite foram aprovadas

Alianza, Andorinha, Andorinha Tipo Único, Báltico, Beirão, Belo Porto, Bom Dia, Borges, Borges Clássico, Borges Tipo Único, Carbonell, Carrefour, Castelo, Coccinero, Coimbra, D’Aguirre, De Cecco, Dia %, Dia % Tipo Único, DOP Sardegna, EA, Felippo Berio, Fiord?Olio, Fonte Mouro, Gallo, Gallo Tipo Único, Great Value, Herdade do Esporão, L?Olio de Cecco, La Española, La Violetera, Le Terrazze, Maria, Monde, Monini, Monte Santo Adrião, Nova Oliva, Olitalia, Oleificio del Golf, Olivas do Sul, O-Live, Oliveira da Serra Classico, Paganini Grezzo Naturale, Pala D´Oro, Rafael Salgado, Rahma, RAR, Renata, Romulo, Sanmarco, Serrata, TAEQ, Terra De Camões, Terra de Camões Tipo Único, Terrano, Terrano Tipo Único, Verde Louro, Verdeal, Verdemar, Vilamoura e Y Barra.

Saiba quais foram as marcas de azeite reprovadas pelo Ministério

Aldeia da Serra, Andaluzia, Anna, Barcelona, Casablanca, Castelo Real, Chef Ávilo Clássico, Conde de Torres, Do Chefe, Dom Cabral, Dom Gameiro, Donana Premium, Don Léon, Faisão Real, Faisão Real Gourmet, Fátima, Figueira da Foz, Imperatore, Lisboa, Lisboa Premium, Lisboa Tipo Único, Malaguenza, Mariza, O Vira, Olivenza, Paschoeto, Pazze, Porto Galo, Porto Valência, Pramesa, Quinta D?Aldeia, Quinta da Boa Vista, Quinta do Cais, Quinta do Fijô, Restelo, Rioliva, San Domingos, Santa Isabel, Serra de Montejunto, Temperatta, Tordesilhas, Torezani Premium, Torres de Mondego, Tradição, Vale Fértil e Vila Verona.

Prejuízo com azeite falso

Por conter substâncias não registradas, o azeite falso pode trazer complicações para a saúde, principalmente para os alérgicos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.