O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Secnidazol: para que serve, dicas importantes para evitar parasitas

Saiba tudo sobre o secnidazol, medicamento contra verminoses.

Secnidazol: para que serve, dicas importantes para evitar parasitas
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

O Secnidazol pode ser encontrado nas farmácias de todo o Brasil e serve para casos de giardíase, amebíase intestinal além de várias outras doenças causadas no organismo humano por parasitas.

Os vermes nos humanos são encontrados com grande frequência e podem ser combatidos com este fármaco que faz com que eles sejam tratados para que não hajam desconfortos ou até um agravo do problema.

O Secnidazol atua no corpo humano alterando o DNA dos parasitas que se hospedam no organismo. Estas doenças são comuns e o tratamento com o medicamento é considerado comum, já que pacientes usam com frequência.

Esta medicação é encontrada em vários outros nomes. O Secnidal, Deprezol, Secnaxidol, Secni-Plus e Secnizol possuem a mesma fórmula.

O preço varia entre R$ 13, quando em comprimidos e pode chegar a até R$ 24 em dose de 30 ml. Sua ingestão em ambas as formas é feita por meio oral.

Secnidazol: mais detalhes sobre o medicamento

Sua ingestão pode ser feita pelos adultos uma vez por dia, quando os comprimidos são de 1 mg. Em casos de amebíase intestinal, giardíase ou tricomoníase, o paciente tem que tomar dois ao mesmo tempo.

Vale lembrar que somente o médico saberá fazer para você um diagnóstico personalizado, respeitando os limites de seu corpo, já que a proporção da doença pode ser maior ou menor em seu organismo.

Para quem tem tricomoníase, é indicado que o parceiro sexual também use o remédio, já que esta é uma doença sexualmente transmissível.

Para os pacientes vítimas da amebíase hepática, doses de 1,5 a 2 gramas do medicamento são as mais indicadas, respeitando um prazo de 5 a 7 dias.

Entre os efeitos colaterais aparecem náuseas, dores na barriga, febre, erupções cutâneas, mudanças no paladar, redução de células brancas no corpo, enjoo e inflamação na boca e língua.

O medicamento não pode ser tomado por quem tem alergia aos imidazólicos e derivados, mulheres que estão no primeiro trimestre da gestação, pessoas que passaram por convulsões, mulheres que amamentam ou que estão com suspeitas de gravidez.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.