O Jornal da Saúde é um site de portal de notícias online com o objetivo de trazer assuntos relacionados sobre saúde e bem estar.

Domperidona: para que serve, contraindicações e detalhes variados

Saiba mais detalhes sobre o Domperidona e tire as suas dúvidas.

Domperidona: para que serve, contraindicações e detalhes variados
5 (100%) 1 voto Gostou Do Artigo?Deixe Seu Voto

As principais indicações do Domperidona são o tratamento de problemas relacionados à digestão, náuseas, desconfortos do estômago (azias, refluxos gástricos, flatulência, azia, queimação além de vômitos em adultos e crianças).

O remédio ajuda na passagem mais rápida dos alimentos pelo esôfago, estômago e intestino, tendo como uma das propriedades o impedimento do aparecimento de refluxo na área gastroesofágica e outros produtos que podem ser relacionados.

A medicação também ajuda a evitar outros problemas relacionados às náuseas e vômitos induzidos por agonistas dopaminérgicos usados na doença de Parkinson como a L-dopa e bromocriptina.

Este remédio é muito conhecido no mercado e pode ser encontrado por muitos nomes comerciais, sempre de acordo com o laboratório que o produz.

Ele pode ser encontrado com os nomes Dompgram, Dompliv, Domperix, Motilium, Molidon, Motiridona, Peridona e Peridal.

O Domperidona é encontrado como comprimidos, drágeas ou suspensão oral em um frasco com líquido, sendo necessário o uso por meio de seringa dosadora descartável.

O remédio precisa ser ministrado antes da alimentação, a absorção do medicamento pode ser atrasada se for ingerida após as refeições.

Contraindicações e efeitos colaterais da domperidona

Se você sofre de prolactinoma, tem alergia a algum dos componentes da fórmula, usa medicamentos contra infecções por fungos, possui hemorragias gastrointestinais, passa por cólicas severas, tem intolerância a lactose, está grávida ou lactante, o médico precisa ser informado antes da aplicação do remédio.

Busque sempre a bula da medicação e converse com o seu médico se você já estiver fazendo tratamento com outras medicações.

Os efeitos colaterais mais comuns são os distúrbios psiquiátricos como depressão, ansiedade ou redução e até perda da libido.

No sistema nervoso, os efeitos colaterais mais comuns são dores de cabeça, acatisia, sonolência. Também são observadas diarreia, distúrbios na pele (erupção cutânea, prurido), distúrbios nas mamas, como sensibilidade ao toque, galactorreia, amenorreia, dores nas mamas e astenia.

Os mais incomuns são hipersensibilidade no sistema imune, problemas na pele como a urticária, inchaço mamário, agitação, nervosismo, tonturas, morte súbita cardíaca.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.